Beija-me depressa

Receita dos beija-me depressa

A primeira vez que comi um beija-me depressa fiquei deliciada, estes doces são realmente divinos. Estes bolinhos fazem parte da doçaria conventual e tradicional de Tomar, têm por base alguns ingredientes dos ovos moles e eu diria que até que são parecidos. O nome não podia ser mais farrista e está na origem de muitas brincadeiras, já imaginou alguém entrar numa pastelaria, sentar-se à mesa e dizer "Por favor, quero um café e beija-me depressa!"

Ingredientes dos beija-me depressa

225 gr de açúcar
12 gemas
100 ml de água
25 gr de manteiga
2 colheres de sopa de farinha de trigo
Óleo qb
Açúcar em pó qb

Preparação dos beija-me depressa


Coloque um tacho ao lume com o açúcar e a água, deixe ferver até alcançar o ponto pérola.
Retire do calor e adicione a manteiga e mexa bem.
Acrescente as gemas uma a uma, sem parar de mexer entre cada adição.
Por fim incorpore gradualmente as duas colheres de sopa de farinha.
Leve novamente o preparado ao lume brando até alcançar o ponto de estrado, ou seja quando ao passar a colher ela deixe um rasto formando uma estrada.
Retire do fogão e e coloque o preparado numa taça untada com óleo. Coloque no frigorífico e deixe a repousar de um dia para o outro.
No dia seguinte forme pequenas bolas com a massa, coloque-as em forminhas de papel e polvilhe-as com açúcar em pó.

E como nesta receita utiliza apenas as gemas do ovo, eu vou deixar a sugestão de uma sobremesa fácil e rápida feita apenas com claras: Molotof de taça, uma versão extremamente simples deste famoso pudim.

Imprimir esta receita
1 comentário:
  1. Adoro doçaria conventual, estes beija-me depressa merecem bem o nome.
    Obrigada pela partilha.
    Beijinhos http://amigos-da-cozinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...