Receita dos Pasteis de Nata

Receita dos Pasteis de Nata

Há muitas maneiras de fazer os pasteis de nata, umas melhores outras piores, há aquelas que não têm nada a haver e há aquelas que valem tudo, é nesta segunda categoria que eu classifico a receita a seguir, depois de a experimentar não vai querer fazer outra.

Ingredientes dos pasteis de nata


Massa folhada qb
150 gr de açúcar
100 ml de água
20 gr de farinha de trigo
3 gemas
250 ml de leite gordo
Sal qb
Cela e açúcar em pó (facultativo)

Preparação dos pasteis de nata


Comece por fazer uma calda de açúcar. Leve ao lume o açúcar e a água, assim que atingirem a fervura mantenha-a ao lume por apenas 3 minutos e retire. Reserve e deixe arrefecer a calda.

Leve uma outra panela ao lume com o leite, o pau de canela e o sal. À parte, misture a farinha com um pouco de leite frio e mexa muito bem, de modo a não deixar criar grumos, depois adicione-a ao leite quente, mexendo sempre muito bem. Depois das duas misturas bem incorporadas, junte a calda de açúcar e mexa novamente. Retire do lume e deixe amornar.

Depois do anterior preparado arrefecido, junte as gemas previamente batidas e envolva-as bem com o creme, até obter um aspeto homogêneo.

Forre as formas com a massa folhada. O ideal é esticar e enrolar a massa folhada e formar um rolo, cortam-se tiras com a largura de um dedo. Seguidamente coloque cada uma dessas tiras na forma previamente molhada com água (passe os dedos molhados) e distribua a massa com os polegares. Mas se preferir estique e corte a massa folhada em círculos com o diâmetro da abertura das formas e aconchegue-a bem até à margem.

Verta o creme sobre as formas, não encha na totalidade, porque o creme vai subir com o calor, faça-o delicadamente com o cuidado de não molhar a superfície da massa folhada, de modo a que ela fique estaladiça depois de cozinhada.

Leve ao forno pré aquecido em temperatura máxima, igual ou superior a 250º , por aproximadamente 10 a 15 minutos. Preste atenção para não deixar queimar a massa folhada. Nos nossos fornos a nata não vai ficar tão tostadinha como as compradas, porque o pastel de nata é cozinhado em fornos industriais que alcançam temperaturas muito elevadas, mas o sabor está todo lá.

Depois de prontos desenforme os pasteis de nata ainda quentes e coma-os simples ou polvilhados com açúcar e canela em pó.

Curiosidades sobre o pastel de nata


O pastel de nata está entranhado na tradição de Portugal, é uma das maiores especialidades da doçaria portuguesa, ganhando um lugar de mérito dentro das grandes tentações da população e do mundo. O mais engraçado é que chama-se pastel de nata e não leva natas. Ele foi considerado como umas das 50 mais saborosas iguarias do mundo, segundo o Journal The Guardien.

Dizem que a receita original está guardada a sete chaves pela fábrica dos Pasteis de Belém em Lisboa, onde são comidos polvilhados com canela e açúcar em pó. Os mestres pasteleiros desta oficina são obrigados a assinar um termo de responsabilidade e a fazer juramento com a promessa de guardar o segredo.

Atualmente o pastel de nata encontra-se à venda na maioria dos estabelecimentos em Portugal, sendo que parte deles têm fabrico próprio, mas a denominação de pastel de Belém é uma marca registada, apenas pode ser empregue aos ditos "verdadeiros pasteis de nata". Em 2011 o Pastel de Belém foi eleito como uma das sete maravilhas da gastronomia de Portugal.

Os pasteis de Belém surgiram em 1837 às mãos dos clérigos do Mosteiro do Jerónimos com forma de subsistência. Contudo o mosteiro situado em Belém e outros por Portugal fora, fecharam devido à revolução liberal de 1820 e o pasteleiro do convento vendeu a receita dos afamados pasteis a um empresário português vindo do Brasil. Domingues Rafael Alves passou a ser o novo detentor e até aos dias de hoje os pasteis de Belém continuam na mão dos seus descendentes..

Depois de tudo isto dá mesmo vontade de comer um pastel de nata, não dá? 

1 comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...